quarta-feira, 28 de outubro de 2015

Impertinência (3)

A crise na construção civil vai terminar!
As empresas que foram para Angola e agora regressam por falta de trabalho (leia-se dólares), poderão  marchar por essa Europa fora e colaborar activamente na construção dos muros que hão-de segurar os refugiados do Médio Oriente. Estes, teimosos, mantêm a ideia fixa de fugir à guerra, como se isso tivesse algum nexo e fosse necessário.
Pergunta-se:
  • A União Europeia subsidiará estes investimentos?
  • Cavaco incentivará o novo Governo a apoiar este potencial de desenvolvimento industrial?

quinta-feira, 22 de outubro de 2015

Impertinência (2)

Do Inimigo Público, com a devida vénia:

"Cavaco regressou à terapia da fala para conseguir dizer 'governo do PS com os Comuni ... Comis...
Conumi ...stas'.

terça-feira, 13 de outubro de 2015

Impertinência

Se, como dizem as "altas cabeças pensantes", as pessoas votaram no Partido Socialista para que fosse viabilizada a continuação no poder do PSD/CDS, porque que diabo é que não puseram elas a cruzinha na coligação? 
Era muito mais simples, dava menos trabalho ao "inquilino" e satisfazia as exigências dos "mercados" ...

segunda-feira, 12 de outubro de 2015

Livros (lidos ou em vias disso)

(...)
À secretária do gabinete da casa demolida, agasalhando-se na manta, fareja o relento da linhaça de que se fabrica o escaldante emplastro que lhe colocam em cima do peito, e procura distrair-se dos seus incómodos na esperança daquilo que no fim da doença se contém, e que consta destas linhas, (...)
Mas quando a bronquite se lhe assanha, faz-se necessário colar-lhe às costas aqueles copinhos de vidro com uma chama azul lá dentro, denominados "ventosas". E por mais que se controle não pode evitar os berros com que reage à tortura do fogo que lhe queima a pele, e os que o seguram recomendam-lhe calma, e enganam-no com esta frase, sempre a mesma,
"Pronto, pronto, já acabou!, pronto, pronto, já acabou!
Das ventosas nunca mais o velho ouve falar, nem das papas de linhaça, às quais dão também o nome de "sinapismos". De resto, e com o agravamento da sua bronquite, substituem-lhe estas mezinhas clássicas pela modernidade da penicilina, e submetem-no ao tratamento de choque que consiste em aplicar-lhe sete dezenas de injecções a intervalos de três horas, e tanto de dia como de noite. E já nem ousando gemer, consente entre enfado e sono nestas palavras que o humilham pela comiseração das suas misérias,
"Ai, coitadinho dele!, está como rabinho tão picado!, não há lugar para mais uma pica!".

Mário Cláudio
Astronomia
D. Quixote (2015)