sábado, 31 de janeiro de 2009

Freeport


Se é mentira, os fins não justificam os meios e é perversa a forma como se inventa, manchando o bom nome com uma nódoa que, qual ferrete, permanecerá para sempre; se é verdade, a perversidade ainda é maior, pela desfaçatez com que se nega, assumindo uma imagem impoluta que, afinal, não existirá.
Como o "nim" tão do nosso agrado não é solução, urge esclarecer, para que os estilhaços não sobrem para o País, que respira com dificuldade e corre riscos de se eclipsar.

terça-feira, 20 de janeiro de 2009

I have a dream


A esperança num mundo melhor nasceu hoje, do lado de lá do Atlântico.
Aguardada com ansiedade por quem acredita que é possível e com cinismo por aqueles (ainda muitos) que pretendem que mude alguma coisa para que tudo fique na mesma.
A crise talvez ajude ... a tomar medidas que diminuam o fosso e criem condições para que, se não for possível todos, a grande maioria seja considerada e tratada como GENTE.

quarta-feira, 14 de janeiro de 2009

Nós, por cá (SIC)

Pessimista ou realista? Visionário ou espectador atento? Fora do tom ... Medina Carreira, no seu melhor, a recordar Rafael Bordalo Pinheiro, a chamar a atenção para a santola sem recheio e para a diferença entre oferecer um quadro e receber um fato ...

terça-feira, 13 de janeiro de 2009

Prestígio e poder

Com a segurança devida e um convite oficial, o antigo presidente do Banco Português de Negócios, Oliveira e Costa, saiu hoje da cadeia onde (por enquanto) se encontra detido, para efectuar uma visita à Assembleia da República.
Chegou, mirou, cumprimentou, ouviu e calou, saindo pouco tempo depois, no mesmo transporte público que havia utilizado na ida.
Terá escolhido a hora da visita, como há alguns anos fez Belmiro de Azevedo, ou essa foi determinada pelo protocolo da Assembleia, ouvido algum Conselheiro de Estado e o ilustre visitante?

quarta-feira, 7 de janeiro de 2009

Palavras bonitas

EIS-NOS AQUI

Eis-nos aqui, sentados à lareira
Do desespero.
O borralho ideal vai-se apagando,
Enquanto o vento da realidade
Sopra lá fora.
É esta a nossa hora
De amor
Ou de traição?
Porque fechamos todas as portas
Do coração,
Entanguidos de frio e de terror?
Se o temporal entrasse,
Talvez a labareda se ateasse
E nos desse calor ...
Miguel Torga
Cântico do Homem
Gráfica de Coimbra