terça-feira, 30 de dezembro de 2008

Mensagem para 2009

Do meu cantinho, quero pedir-te que sejas um bom ano, melhor que o teu antecessor.
Mas se acaso te portares pior, não magoes muito ... a Casa agradece!

domingo, 21 de dezembro de 2008

Voto de Natal

Acenda-se de novo o Presépio no Mundo!
Acenda-se Jesus nos olhos dos meninos!
Como quem na corrida entrega o testemunho,
passo agora o Natal para as mãos dos meus filhos.

E a corrida que siga, o facho não se apague!
Eu aperto no peito uma rosa de cinza.
Dai-me o brando calor da vossa ingenuidade,
para sentir no peito a rosa reflorida!

Filhos, as vossas mãos! E a solidão estremece,
como a casca do ovo ao latejar-lhe vida ...
Mas a noite infinita enfrenta a vida breve:
dentro de mim não sei qual é que se eterniza.

Extinga-se o rumor, dissipem-se os fantasmas!
Ó calor destas mãos nos meus dedos tão frios!
Acende-se de novo o Presépio nas almas.
Acende-se Jesus nos olhos dos meus filhos.

David Mourão-Ferreira
Obra Poética
Editorial Presença


Terminando um ciclo de 32 anos sem qualquer interrupção, o Natal da Casa deslocaliza-se, sem qualquer outro motivo que não seja a passagem do testemunho, natural, de acordo com as leis inexoráveis do tempo.

Neste ano, festejaremos na casa do meu "grego", que regressa para uma visita "de médico".
BOM NATAL PARA TODOS.

quarta-feira, 10 de dezembro de 2008

Palavras bonitas

E se de repente rompesse das ondas
uma deusa verde
com algas nos seios,
olhos de espuma,
graça de peixe
e uma estrela-do-mar
nos cabelos de sol
molhados de música?

Ah! não me espantava.

O que me espanta
é este mar sujo, negro, vil,
sem imaginação de ninfas.
José Gomes Ferreira
Poeta Militante
Moraes Editores/1977

terça-feira, 2 de dezembro de 2008

Inverno


Apesar da chuva e do frio que ontem "deliciaram" os nossos ossos, ainda foi possível, pelos olhos da dona da Casa, ver a luz da Foz, as ondas nas rochas da Junceira e o arco-íris a mergulhar na fronteira "onde a terra acaba e o mar começa."